Notícias
13/08/2012 -
Balan??o Caixa Econ??mica Federal ??? segundo semestre de 2012.

O n??mero de unidades contratadas dentro das fases 1 e 2 do Programa Minha Casa, Minha Vida totalizou 1,8 milh??o at?? 31 de julho. O n??mero total de unidades conclu??das e entregues at?? o final de julho, nas duas fases do programa habitacional do governo federal, chegou a 1,0 milh??o. At?? 2014, o programa tem a meta de entregar 2,4 milh??es de im??veis.
O banco projeta fechar o ano com financiamentos totais em R$ 100 bilh??es para o ano, o que representa um crescimento de quase 25% em rela????o a 2011. A participa????o total no mercado ?? de 73% no mercado de cr??dito imobili??rio, mantendo a lideran??a no segmento.
O setor de cr??dito imobili??rio deve fechar o ano com n??meros positivos. A redu????o dos juros foi um grande incentivador do grande n??mero de contratos fechados. Os juros cobrados pelo banco iniciam a partir de 4,4% ao ano no PMCMV at?? 9,9% para im??veis acima de R$ 500 mil. A ascens??o das classes D e E para a classe C incrementou o mercado, al??m do aumento da renda que melhorou o poder de compra dos brasileiros. A taxa de inadimpl??ncia tem se mantido em patamares de 2%, considerada baixa pelos dois especialistas da Caixa.
A poupan??a continua sendo uma importante fonte de recursos da Caixa para o cr??dito imobili??rio, mas o banco j?? prepara alternativas para o futuro. Uma delas ?? a securitiza????o da carteira de cr??dito imobili??rio da pr??pria Caixa. Isso seria feito atrav??s dos Certificados de Receb??veis Imobili??rios (CRIs), ou seja, atrav??s da carteira de cr??dito imobili??rio s??o emitidos os CRIs para captar dinheiro no mercado. O recurso ser?? usado nos pr??ximos anos, conforme a necessidade.
 A carteira de cr??dito total da Caixa chegou, no Brasil, a R$ 298 bilh??es com crescimento de 44,6%. O lucro l??quido do banco no per??odo foi de R$ 2,8 bilh??es, uma evolu????o de 25,2% em rela????o ao acumulado em junho de 2011. No semestre, a Caixa injetou R$ 226 bilh??es na economia, resultantes de contrata????es de cr??dito, distribui????o de benef??cios sociais e ao trabalhador e investimentos.
O cr??dito imobili??rio trabalha com regras r??gidas para usar o dinheiro da poupan??a, ainda a principal fonte de recursos, fazendo com que a maioria dos bancos tenham taxas e condi????es parecidas. O importante ?? manter as normas prudenciais e evitar a inadimpl??ncia, evitar bolhas imobili??rias.
O consumidor est?? voltando a buscar cr??dito, segundo dados divulgados pela Serasa Experian. Esse fen??meno pode ser observado ?? queda nas taxas de juros e o per??odo do ano que coincidiu com a ??poca de libera????o de imposto de renda e pagamento de parte do decimo terceiro dos funcion??rios p??blicos.
 O banco apresentou um lucro de R$ 2,8 bilh??es no per??odo, volume 25,2% superior ao primeiro semestre do ano passado. Houve crescimento do credito, mantendo-se a qualidade deste.  N??o houve nenhuma mudan??a no nosso modelo de risco.
As mudan??as nas regras de rendimento da poupan??a e a queda nas taxas de juros levaram os consumidores a aumentarem de maneira exponencial os dep??sitos na poupan??a. A caderneta de poupan??a teve uma capta????o l??quida de R$ 6,7 bilh??es, com alta de 189,2%. O saldo ficou em R$ 161,9 bilh??es. J?? a carteira imobili??ria teve saldo de R$ 177,2 bilh??es em junho, aumento de 37,1% em 12 meses. Enquanto, no Brasil, a inadimpl??ncia atingiu a marca recorde de 6%, em maio desse ano, a Caixa fechou o semestre com 2% de atrasos nos pagamentos superior a 90 dias. Para a habita????o, a taxa ?? ainda menor, 1,4%.
O financiamento ?? produ????o de novos empreendimentos imobili??rios cresceu 100,4% se comparado ao mesmo per??odo de 2011 e, puxado pelo Programa Minha Casa Minha Vida, inverteu a rela????o entre im??veis novos e usados. Esta rela????o, em 2008, era de 40% para im??veis novos e de 60% para im??veis usados e, em 2012, passou a ser de 61% para os im??veis novos e 39% para im??veis usados.
Os CDB captaram R$ 6,5 bilh??es at?? junho e atingiram saldo de R$ 47,7 bilh??es, com participa????o no mercado de 7,4%, e evolu????o de 1,5 p.p. em rela????o a dezembro de 2011. As Letras Imobili??rias e Financeiras captaram R$ 8,2 bilh??es e apresentaram saldo de R$ 30,3 bilh??es no final do semestre.
 Com cerca de 21 milh??es de contas, os dep??sitos ?? vista alcan??aram saldo de R$ 24 bilh??es, evolu????o de 15,8% no per??odo. As contas correntes abertas por pessoas f??sicas totalizaram 19,4 milh??es, sendo 9,4 milh??es na modalidade Conta CAIXA F??cil, que n??o cobra tarifas. Somente no primeiro semestre foram abertas cerca de 700 mil contas CAIXA F??cil.
 O cr??dito comercial apresentou saldo de R$ 98,8 bilh??es, crescimento de 56,2% em rela????o ao mesmo per??odo de 2011 (24,6% somente no primeiro semestre de 2012).
As opera????es com pessoas f??sicas registraram saldo de R$ 46,1 bilh??es, evolu????o de 51,5% (25,8% no ano). As opera????es com pessoas jur??dicas encerraram o per??odo com saldo de R$ 52,7 bilh??es, avan??o de 60,6% em 12 meses (23,6% no ano).
As contrata????es comerciais somaram R$ 78,1 bilh??es, com evolu????o de 38,7% se comparados a junho de 2011. As opera????es com pessoas f??sicas contrataram R$42,3 bilh??es neste primeiro semestre, 56% a mais do que o registrado no mesmo per??odo de 2011. Com pessoas jur??dicas, as contrata????es atingiram R$35,8 bilh??es, crescimento de 22,5% em rela????o ao mesmo semestre de 2011.
A carteira imobili??ria apresentou saldo de R$ 177,2 bilh??es em junho de 2012, aumento de 37,1% em 12 meses. As opera????es com recursos da poupan??a somaram R$ 84,0 bilh??es e, nas linhas que utilizam os recursos do FGTS, a CAIXA alcan??ou R$ 85,4 bilh??es, crescimentos de 38,4% e de 40,6% respectivamente.
As contrata????es totalizaram R$ 45,9 bilh??es, um crescimento de 33,2% em rela????o ao primeiro semestre de 2011. Destes, R$ 18,8 bilh??es foram realizados com recursos da poupan??a (SBPE), R$ 19,7 bilh??es nas linhas que utilizam o FGTS, incluindo subs??dio. Al??m disso, foi aplicado R$ 1,2 bilh??o na linha Construcard.
Pelo Programa Minha Casa Minha Vida foram contratados R$ 22,2 bilh??es, dos quais R$ 12,7 bilh??es com recursos do FGTS, R$ 3,2 bilh??es com subs??dio e R$ 6,2 bilh??es com recursos do FAR.
O financiamento ?? produ????o de novos empreendimentos cresceu 100,4% se comparado ao mesmo per??odo de 2011 e, puxado pelo Programa Minha Casa Minha Vida, mais que inverteu a rela????o entre im??veis novos e usados.
No PMCMV I, desde o seu lan??amento em 2009, j?? foram contratados 5.805 unidades, representando um investimento de R$ 291,5 milh??es.
No primeiro semestre de 2012, a CAIXA ampliou sua base de clientes para 62 milh??es, entre correntistas e poupadores, um crescimento de 11,7% em rela????o a junho de 2011. A Institui????o tamb??m aumentou em 18,3% a quantidade de contas correntes, totalizando 20,8 milh??es. Juros refletem sinal de alerta com o PIB
Outro fator ?? a poss??vel atua????o dos principais bancos centrais do mundo para estimular as economias.
A rela????o d??vida e renda das fam??lias, conhecida como endividamento, est?? pr??xima de 43%, mas, ao excluir a parcela do cr??dito habitacional, a propor????o cai para 30%. H?? 10 anos o cr??dito correspondia a 20% de participa????o no Produto Interno Bruto (PIB) e que hoje passa de 50%. Existe espa??o para a expans??o do cr??dito, o que ?? desej??vel para as perspectivas de um ciclo de crescimento sustent??vel e duradouro do Brasil. Em outros pa??ses representa boa parte do endividamento, mas no Brasil ?? menos de um quarto. No Canad??, Reino Unido e Estados Unidos o endividamento passa de 100% da renda, mas a diferen??a ?? que l?? os prazos s??o mais longos e as taxas de juros mais baixas.
Em Santa Cataria, o primeiro semestre de 2012 fechou com 25,7 mil novos contratos. Um crescimento de quase 45% da Caixa Econ??mica Federal, nos ??ltimos 12 meses, foi impulsionado pela combina????o da redu????o dos juros e do cr??dito recorde para a habita????o. Em Santa Catarina, R$ 2,15 bilh??es foram destinados ao financiamento de im??veis no primeiro semestre deste ano. O valor ?? 31,2% maior do que o concedido no mesmo per??odo de 2011.
Na Grande Florian??polis, a Caixa fechou 5.795 contratos de financiamento, 44,6% a mais comparado com os seis meses do ano passado. O feir??o da caixa na Capital, terminou com movimenta????o recorde de R$ 598 milh??es entre contratos assinados e encaminhados, cifra 45% superior ?? do ano passado.

Fonte: Caixa Econ??mica Federal